Home a Porque tomou este medicamento que muita gente tem em casa, ele quase morreu e seus rins pararam de funcionar

Porque tomou este medicamento que muita gente tem em casa, ele quase morreu e seus rins pararam de funcionar

Quando você está sentindo alguma dor estranha ou mal-estar, o que você faz? Procura alguma coisa na pequena farmácia que você tem em casa? Pergunta a algum amigo que já teve aquela mesma dor para tentar saber o nome do remédio? Ou procura um médico de confiança ou vai ao posto de saúde?

Pois Fernando Henrique de Souza fazia o que uma parcela significativa da população brasileira faz que é se auto-medicar porque não tem dinheiro para ir ao médico.

Numa publicação do Facebook, ele contou que sofria de dores terríveis nas articulação dos dedos das mãos e dos cotovelos e que nenhum remédio era capaz de lhe mitigar o sofrimento.

Até que ele ouviu falar de um remédio milagroso.

O remédio que lhe recomendaram tem 125mg de carisoprodol, 300mg de paracetamol, 50mg de diclofenaco sódico e cafeína. Na bula do medicamento estava escrito que a dose máxima não deveria ultrapassar 3 comprimidos diários, tomado de 8 em 8 horas, e o tratamento não deveria ultrapassar 10 dias.

“Comprei o remédio no mesmo dia, que depois de tomar me aliviou aquela dor”, diz. Mas era bom demais para ser  verdade. O efeito analgésico durou apenas 4 horas e ele tomou outro comprimido por conta própria.

Como não bastasse a auto-medicação, Fernando ainda ajustou a dose do remédio, tomando de 4 em 4 horas

Um susto e uma descoberta avassaladora

Um dia, Fernando sofreu um princípio de enfarte. “Quando realizei os exames que os médicos pediram, meus rins já tinham perdido 85% do funcionamento”, diz. Agora seus rins simplesmente não trabalham mais. Pararam por completo.

Uma lição importante

“Isso tudo me fez refletir que as pessoas desconhecem o mal que esse remédio faz, não só aos rins, mas também ao coração, deixando a pressão arterial elevada e fazendo aumentar em 30 por cento os riscos de um ataque cardio-vascular”, afirma.

Ele também chama a atenção para o fato de que é muito fácil comprar esse remédio e, mesmo que tenha um selo vermelho advertindo para sua venda somente com prescrição médica, é muito fácil comprá-lo em qualquer farmácia.

Ele termina: “Que minha história sirva de exemplo. Que um simples remédio, vendido livremente em qualquer farmácia, que tira a tua dor mas acaba com você por dentro. Por isso eu aviso que é melhor jamais alterar a dosagem de um remédio prescrito pelo médico. E nunca ultrapassar o prazo estipulado para o tratamento. Avise sempre ao médico que remédios você está tomando e também não caia na conversa de ninguém. O que funciona nos outros pode matar você”. 

A publicação de Fernando já ultrapassou meio milhão de compartilhamentos.

Recentemente, ele publicou em que avisava que estava indo fazer mais uma sessão de hemodiálise.

Comente!

Você pode gostar disso...